Políticas públicas e proteção ao patrimônio de museus movimentaram Conexões Ibram no ES

No primeiro dia do Conexões Ibram em Vitória (ES), o tema Estatísticas e Números foi abordado com a apresentação de parte dos dados compilados pelo Ibram/MinC na publicação Museus em Números. O trabalho faz parte do projeto iMuseus – construção de rede de informações do setor museal.

A legislação e políticas públicas para a área Museus, por sua vez, foi tratada nas discussões do Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM) e do Estatuto de Museus. Em ambas, houve grande participação do público – formado por representantes de museus, acervos, bibliotecas e instituições de ensino.

A palestra em torno da proteção ao patrimônio musealizado em risco fechou o dia de ontem (26). Riscos, plano de gestão, segurança e planejamento foram alguns dos assuntos abordados. Para Cícero Almeida (foto), coordenador de Patrimônio Museólogico do Ibram, a maioria das instituições não denucia roubos e furtos de acervo por receio de mostrar fragilidade na administração. “Mas como disse Machado de Assis: a ocasião faz o furto, e é essencial haver um planejamento de segurança nos museus”, comparou.

O instituto sugere ainda a criação de uma base de dados de voluntários para salvamento de obras museais em situações de emergência e a importância de todos os museus cadastrarem suas obras desaparecidas na base de dados nacional criada pelo Ibram já disponível no site da instituição.

O evento Conexões segue hoje (27) com palestras sobre o programa Pontos de Memória e de Estratégias de fomento e Financiamento para Museus. Haverá ainda reunião de Grupos de Trabalho (GTs) sobre os temas abordados nos dois dias do encontro.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Joaquim Oliveira

“Ainda há muito a ser feito”, diz secretário de Cultura do ES na abertura do Conexões Ibram

O quarto evento do projeto Conexões Ibram começou ontem (26), na capital do Espírito Santo (ES), Vitória.

A assinatura de Acordo de Cooperação Técnica entre o Estado e o Governo Federal abriu o encontro no Palácio Anchieta. Eneida Braga, presidente substituta do Ibram/MinC, assinou o documento com José Paulo Viçosi, Secretário estadual de Cultura (foto). O acordo tem como objetivo integrar recursos da área e estimular o desenvolvimento de ações conjuntas no setor museal no ES.

Eneida Braga ressaltou que esta ação é inédita do Governo Federal e busca parcerias para desenvolver políticas públicas especificas para o setor museal. Paulo Viçosi enfatizou que ainda há muito a ser feito, mas que a demanda dos cidadãos precisa ser atendida. “ Apesar de ser um Estado pequeno, existe um grande potencial para dar ao povo capixaba seu direito à memória”, declarou.

A Deputada Luzia Toledo, que é presidente da Comissão de Cultura da Assembléia Legislativa, destacou a importância de ser realizar conexões culturais no Brasil e lembrou ainda que o evento ocorre no Palácio Anchieta, que é uma “marca da determinação da política cultural capixaba”. Recentemente restaurado, o prédio abriga um museu e diversas salas de exposições.

Também estiveram presentes os subsecretários de estado de Cultura, Erlon Paschoal, e de Patrimônio Cultural, Joelma Consuêlo Fonseca e Silva.

Na programação do dia 26, as palestras e debates tiveram temas variados, como Estatuto de Museus e Patrimônio Cultural em Risco.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Legado cultural da Copa: proposta é revitalizar museus no Ceará

Três Grupos de Trabalho (GTs), formados a partir dos temas apresentados durante o Conexões Ibram em Fortaleza (CE), realizaram reuniões ontem (25), no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e na Biblioteca Pública Governador Menezes Pimentel. Os participantes discutiram propostas de ações e definiram um cronograma inicial de atividades.

A partir da apresentação, na terça-feira (24), da coordenadora de Difusão e Desenvolvimento de Parcerias do Ibram, Ena Elvira Colnago (foto), o grupo decidiu priorizar a destinação de recursos não para a criação de novos museus, mas para a revitalização dos equipamentos culturais já existentes.

Fortaleza será uma das cidades brasileiras que sediará jogos durante a Copa do Mundo de Futebol 2014 e o Ibram/MinC está pactuando com os estados uma agenda de investimentos para o setor museal com foco no legado cultural desse megaevento esportivo.

“Os turistas que vêm ao Brasil não escolhem o país à toa. Eles possuem expectativa do que devem encontrar aqui”, destacou Ena Colnago durante sua exposição. “Temos que estar preparados para recebê-los bem”, completou ela, lembrando que o Brasil espera receber 600 mil turistas estrangeiros e que a impressão deles será transmitida a outros turistas em potencial.

Os outros dois grupos de trabalho que tiveram reuniões nesta quarta-feira foram sobre Pontos de Memória e a Gestão de Riscos ao Patrimônio Museológico.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Marina Cavalcante