Pequenos museus pedem capacitação para cuidar de patrimônio em risco

Em palestra que abriu o segundo dia do Conexões Ibram em Alagoas, a museóloga Luciana Silva, do Instituto Brasileiro de Museus, falou sobre o patrimônio cultural em risco e a integração de ações públicas que explicitam os principais agentes danosos ao patrimônio museal.

Ela apresentou propostas de um plano de ação para a segurança e preservação do acervo e reforçou a importância de comunicar o desaparecimento de obras preenchendo o Cadastro de Bens Musealizados Desaparecidos (CBMD/Ibram).

No debate sobre o tema, Júlio Cesar Chaves, museólogo do Museu Théo Brandão, enfatizou que os pequenos museus precisam de capacitação para esse tipo de especialidade. “O Ibram poderia criar uma cartilha básica de segurança e risco de baixo custo para os pequenos museus”, sugeriu.

O Ibram está desenvolvendo um cadastro de voluntários que serão preparados para enfrentar situações que colocam o patrimônio musealizado em risco. Em julho, o Rio de Janeiro sediará reunião com especialistas nesse tema para discutir um marco legal internacional que auxiliará na construção de políticas públicas e ações a serem adotadas pelos países para minimizar esses riscos.

Texto: Ascom/Ibram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>