Palestras sobre temas relevantes para a área de museus da Paraíba

Após a abertura do Conexões Ibram na Paraíba, hoje pela manhã em Campina Grande, começaram uma série de palestras em torno de temas relevantes para o setor museal – contando com ativa participação dos paraibanos.

O Programa iMuseus consiste em disponibilizar informações sobre os museus e para os museus. A apresentação, realizada por Karla Uzeda – coordenadora do Cadastro Nacional de Museus (CNM) -  teve como foco a apresentação de informações sobre as instituições museológicas brasileiras a partir da publicação Museus em Números.

“Temos que criar instrumentos que nos permitam aprofundar as políticas públicas e conhecer melhor o setor”, disse Karla Uzeda. ”O Cadastro Nacional de Museus se propõe a conhecer e mapear a diversidade museal brasileira, tendo em vista o Plano Nacional de Cultura (PNC) e o Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM)”, completou.

Com 63 museus mapeados em 2010, atualmente já são 67, o estado tem em média um museu para cerca de 57,8 mil habitantes – uma das maiores médias do nordeste. Saiba sobre os museus paraibanos no Informativo Temático sobre o estado.

À tarde, Janete Conceição, analista do Departamento de Difusão, Fomento e Economia de Museus (DDFEM) do Ibram, esclareceu pontos importantes sobre o plano, desde sua elaboração até o papel essencial dos estados para a sua implantação.

O primeiro dia do Conexões Ibram Paraíba encerrou-se com o tema Estatuto de Museus. Ana Maltez (foto acima), assistente do Departamento de Processos Museais (DPMUS) do Ibram, colocou em pauta os museus como intrumento de promoção da cidadania, função de valorização da diversidade e inclusãp social, citando ainda detalhes do decreto de regulamentação do estatuto, já enviado à Casa Civil da Presidência da República. Conheça a programação dos próximos dois dias do evento na Paraíba.

Texto e foto: Ascom-Ibram

 

Público sergipano debate dados museais, marcos legais do setor e patrimônio em risco

A necessidade de colher e sistematizar informações sobre o campo museal, os marcos legais do setor e os riscos ao patrimônio musealizado estiveram no centro do debate no primeiro dia do Projeto Conexões em Sergipe, que teve início na manhã desta terça-feira (27).

Cerca de 40 representantes do setor museal sergipano participaram das três apresentações iniciais do evento, que acontece no Museu da Gente Sergipana, em Aracaju (SE) com a participação de referências técnicas do Ibram em diversas áreas da gestão museal.

A programação foi aberta com fala da chefe do Cadastro Nacional de Museus, Karla Uzêda, sobre o programa iMuseus, que objetiva o levantamento e sistematização de informações sobre o setor museal.

A museóloga apresentou dados sobre a realidade do setor em âmbito nacional, além de informações sobre a situação dos museus sergipanos, sublinhando a necessidade de que as instituições museológicas locais colaborem com o trabalho contínuo de colheita de dados realizado pelo Ibram.

Na sequência, o público assistiu a fala das técnicas Ana Maltez, do Departamento de Processos Museais (DPMUS) e Janete Jane, do Departamento de Difusão, Fomento e Economia dos Museus (DDFEM), sobre o Estatuto de Museus e o Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM). A apresentação teve grande participação do público, que teve a oportunidade de tirar dúvidas e debater a respeito dos marcos legais do setor museal e sua relação com a realidade sergipana.

A programação do primeiro dia foi encerrada com apresentação da historiadora Eneida Queiroz sobre Gestão de Riscos. A técnica do Departamento de Processos Museais do Ibram apresentou e debateu com os participantes os principais riscos ao patrimônio musealizado identificados pelo órgão, chamando atenção para o fato de que apenas um dos museus cadastrados junto ao Ibram em Sergipe declarou possuir Plano de Segurança.

A edição sergipana do projeto Conexões Ibram prossegue nesta quarta-feira (28) com apresentações sobre o programa Pontos de Memória e as Estratégias de Fomento e Financiamento oferecidas pelo Ibram ao setor museal brasileiro, além de palestra e da realização de Grupos de Trabalho sobre temas considerados prioritários para o campo museal de Sergipe.

(Fotos: Bruno Aragão – ASCOM/Ibram)

GTs apresentam propostas para o setor museal do RJ

Após dois dias de apresentações e debates sobre alguns dos principais instrumentos de gestão oferecidos pelo Ibram ao campo museal brasileiro, em diálogo com a realidade local, o terceiro e último dia de Conexões Ibram Rio de Janeiro foi dedicado à discussão de agendas prioritárias para o setor museal fluminense em Grupos de Trabalho.

Durante toda a manhã e tarde, foram debatidos os temas Plano Estadual Setorial de Museus, Legado Cultural, iMuseus, Estatuto dos Museus e Estratégias de Fomento e Financiamento aos Museus.

Dividido em Grupos de Trabalho, o público presente, composto por profissionais e gestores da área, elaborou propostas com base nas palestras apresentadas e nas ações contempladas no Termo de Cooperação, assinado entre Ibram e Secretaria de Estado da Cultura do Rio de Janeiro, na quarta-feira (26).

“A ideia é estabelecer uma agenda de trabalho de curto e médio prazo entre atores do estado e o Ibram”, explica a coordenadora de Produção e Análise da Informação do Ibram, Mayra Resende.

A programação do Conexões Ibram Rio de Janeiro foi encerrada com apresentação do Quinteto de Jazz do Corpo de Bombeiros.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Caru Ribeiro -SEC-RJ