Pontos de Memória, fomento e finaciamento aos museus no último dia de palestras na PB

Ontem (6), foi o último dia de palestras do projeto Conexões Ibram em Campina Grande (PB), que se encerra hoje (7) com a realização de Grupo de Trabalho (GT) sobre a criação do Sistema Estadual de Museus da Paraíba.

Rafaela Felício, técnica em Assuntos Culturais do Ibram, apresentou o tema Gestão de Riscos aos Patrimônio Musealizado. A questão principal gira em torno dos riscos mais comuns ao patrimônio de museus e os meios de mitigá-los.

Esta semana, o Ibram lançou seu Programa de Serviço Voluntariado, que visa envolver as comunidades em torno da proteção aos acervos museais. Saiba mais sobre o programa.

Outro tema da manhã foi o programa Pontos de Memória, que tem como proposta envolver a comunidade no fortalecimento da memória social por meio de um modelo de gestão participativa – implantado pelo Ibram em 2009, com apoio de outras entidades governamentais.

Para Felipe Evangelista (foto), técnico em Assuntos Culturais do Ibram, a intenção atual é aumentar as conexões do projeto com outras ações do Ministério da Cultura (MinC), como Pontos de Cultura e de Leitura, que têm bases similiares, ou seja, partem de iniciativas da comunidade.

“A memória não é consensual sobre quais histórias devem ser contadas. Por isso a participação da comunidade é importante pra não registrar apenas um determinado aspecto”, salienta Evangelista.

À tarde, após serem apresentadas as atuais estratégias de fomento e financiamento para museus brasileiros, como a Lei de Incentivo à Cultura e os editais do Programa de Fomento aos Museus Ibram 2012,  aconteceu a apresentação do projeto do Museu de Arqueologia de Pilões.

Texto e foto: Ascom-Ibram

Projeto de Niemeyer para museu em Campina Grande homenageia cultura popular

A equipe do Conexões Ibram, que está em Campina Grande (PB) para a última edição do projeto em 2012, visitou ontem (5), o futuro Museu da Arte Popular (MAP) – cujo projeto arquitetônico é de Oscar Niemeyer, falecido nesse mesmo dia, aos 104 anos.

Ainda sem previsão para abertura ao público, a visita técnica foi guiada por Silvia Cunha Lima, assessora técnica do governo estadual, que também esteve envolvida com o novo Museu de Arte Assis Chateaubriand (MAC).

Ela explicou que Niemeyer buscou sua inspiração na forma do pandeiro e que o museu exporá um acervo que valoriza a cultura popular paraibana. Um dos eixos serão os cordéis e a xilogravura.

O acervo de cordéis pertence à Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), entidade responsável pela gestão do museu, e integra a Biblioteca de Obras Raras Átila Almeida – que conta hoje com cerca de 10 mil títulos e está disponível em formato digital.

Já a xilogravura será representada pela obra do paraibano José da Costa Leite, cujo trabalho ilustra cordéis há várias décadas e tem ganho atenção enquanto arte popular.

Uma curadoria em torno da produção artesanal do estado, já reconhecido por meio do programa Paraíba em suas mãos e a Casa do Artista Popular, ocupará um dos três ‘pandeiros’. Por fim, uma homenagem ao cantor e compositor Jackson do Pandeiro (1919-1982), onde serão expostos instrumentos e outros objetos ligados ao artista – atualmente sob os cuidados do MAC-UEPB.

Texto e fotos: Ascom-Ibram

 

 

 

Campina Grande sedia Conexões Ibram na Paraíba até sexta-feira (7)

O último encontro de 2012 do projeto Conexões Ibram começou hoje (5), em Campina Grande – segunda maior cidade da Paraíba (PB). O evento acontece no MAC Assis Chateubriand até sexta (7).

Na abertura, Angelo Rafael de Farias, diretor do museu, lembrou que a intenção do projeto é discutir as “ações, estratégias para os museus brasileiros em sua 17ª edição este ano”.

Silvia Cunha Lima (foto), assessora técnica representando o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, falou sobre os projetos de novos museus na Paraíba, como o MAC, que sedia o encontro, Museu da Cultura Popular, em construção em Campina Grande, com projeto de Oscar Niemeyer, e o museu da Cidade de João Pessoa, que também está em andamento.

Rangel Junior, pro-reitor da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), que administra o MAC, “o museu tem um papel fundamental para a educação. Não é só lugar da guarda de objetos mas também um espaço de presença do público”.

Cooperação
Fo assinado o termo de Cooperação Técnica entre o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e a secretaria de estado da Cultura da Paraíba, com fins a ampliar políticas para o setor.

Francisco Cesar, secretário de estado da Cultura, afirmou a relevância do projeto como forma de autocrítica do setor e de continuidade para a política local. “Temos museus e acervos, mas ainda estamos aquém da construção de um sistema conectado. O museu é essencial para o povo se reconhecer no território, na história. Temos que fortalecer essas bases”, disse o secretário.

Cassia Bandeira de Melo, representando o presidente do Ibram, lembrou que o Conexões Ibram se propõe a apresentar as diversas temáticas pelas quais o instituto transita. “Queremos promover uma ação mais integrada. por isso a importância do termo de cooperação para actuamos para ações futuras”, aposta. Acompanhe mais no  blogue Conexões Ibram.

Texto: Ascom-Ibram
Foto: Museu Assis Chateaubriand