Ponto de Memória Terra Firme apresentou ações no Conexões Ibram Pará

“O Ponto de Memória amplia a compreensão e a forma do que é um museu, baseado no incentivo às iniciativas e ao desejo de memória das comunidades locais”, explicou Nicole Reis, que integra a coordenação de Museologia Social e Educação do Ibram/MinC, no segundo e último dia do projeto Conexões Ibram em Belém (PA).

Atualmente, o Ibram tem mapeados 170 Pontos de Memória no Brasil, dentre iniciativas apoiadas pelo instituto, por meio de editais públicos, e aquelas autônomas. Na capital paraense, o Ponto de Memória Terra Firme existe há cerca de dois anos e segue desenvolvendo ações em prol da memória da comunidade com o mesmo nome – um populoso bairro de Belém.

Historiadora e membro do conselho gestor do Ponto de Memória Terra Firme, Edivania Santos Alves (foto) apresentou as ações do grupo hoje (8) no Teatro Estação Gasômetro.

Imprensa comunitária – com apoio do Museu Emilio Goeldi – rodas de memória e uma exposição, que deve ser lançada em novembro, são algumas iniciativas atuais.

“Um aspecto positivo é que por meio dos projetos começamos a envolver as juventudes locais – responsáveis por replicar o conhecimento”, conta Edivânia Alves.  “E acreditamos que a exposição Tudo que a Terra Firme Tem deve ser uma ação de grande visibilidade local, mostrando que estamos lá”.

Quanto ao futuro, o debate está aberto: “não queremos ficar atrelados a iniciativas governamentais para sempre mas não queremos perder os apoios institucionais, certamente. Esse é um grande desafio a enfrentar”, diz a historiadora. “O Ponto de Memória tem que espelhar de fato a múltiplas faces de Terra Firme. Isso tudo tem que aparecer: o ponto sendo apropriado pelos morados”, conclui.

No último dia do Conexões Ibram no Pará também foi apresentado o tema Estratégias de Fomento e Financiamento aos Museus. À tarde, os participantes reuniram-se em três Grupos de Trabalho para discutir os temas Segurança, Modernização e Financiamento.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Informação é essencial para desenvolver ações na área de museus

O estado do Pará conta atualmente com 42 museus, sendo a maioria deles (74,1%) administrada pelo poder público. O Informativo Temático Pará foi apresentado ontem (7) no Conexões Ibram, durante a palestra iMuseus – que consiste em disponibilizar informações sobre os museus e para os museus.

“A partir da publicação Museus em Números, realizamos um recorte de informações sobre cada um dos estados para gerar os informes temáticos”, explicou Mayra Resende, coordenadora na área de informações museais do Ibram/MinC. A edição Pará do Informativo Temático está aqui.

Riscos e Plano Setorial
Patrimônio Museal em Risco, Plano Nacional Setorial e Estatuto de Museus foram os outros tremas tratados no primeiro dia do Conexões Ibram em Belém. Taís Valente (foto), técnica no departamento de Processos Museais do Ibram, apresentou os principais agentes de risco ao patrimônio museológico, citando a falta de informação com destaque: “se não temos informação sobre o acervo, fica muito difícil, em uma situação de risco, realizar a proteção de uma obra, por exemplo”, explica.

Mobilização e atuação conjunta e diálogo no setor de museus entre os entes federais, estaduais e municipais foram o mote da palestra sobre o Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM) – apresentado por Patrícia Albernaz (esq.), da coordenação de Difusão e Desenvolvimento de Parcerias do Ibram/MinC.

A última palestra do dia, sobre o Estatuto de Museus, tratou do documento, atualmente em processo de sanção presidencial, que precisa ser apreendido pelo setor. “O estatuto brasileiro vai se aproximar a de outros países que possuem legislações específicas para museus”, esclareceu Taís Valente. Saiba mais sobre o projeto Conexões Ibram.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Pará abre projeto Conexões Ibram no segundo semestre

A abertura do projeto Conexões Ibram em Belém (PA) aconteceu na manhã de hoje (7), no Teatro Estação Gasômetro. Com um público representativo, a abertura contou com a assinatura de Termo de Cooperação Técnica entre o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) e a Secretaria de Estado da Cultura do Pará (foto).

“O Pará demonstra interesse e tem contribuído com a ampliação das políticas públicas para museus”, elogiou Eneida Braga (esq.) – presidente substituta do Ibram/MinC.

“O estado é o primeiro da região Norte a receber o projeto. Conhecer as realidades e possibilidades locais só é possível com a parceria”, reforçou.

Carmen Cal, diretora do Sistema Integrado de Museus (SIM) do Pará, representando o secretário de Estado da Cultura, citou o trabalho atual do sistema para integrar os museus do estado, além de modernizar e divulgar as instituições locais. “Temos desenvolvido muito a divulgação dos museus perante as crianças, escolas e grupos da terceira idade, no sentido de levá-los ao museu”, explicou.

“O acordo de cooperação assinado hoje com o Ibram deve ampliar a integração entre os museus do estado e a política federal. Poderemos contar com apoio para divulgação de nossa agenda em âmbito nacional e conhecer os caminhos para ampliar recursos”, assinalou Carmen Cal.

Segundo dados do SIM Pará, mais de 17 mil visitantes estiveram nos museus ligados ao governo do estado durante o primeiro semestre de 2012. Com as férias de julho, a estimativa é que tenha chegado a 20 mil.

Após a abertura, foram apresentadas as palestras iMuseus - construção de rede de informações do setor museal -  e Patrimônio Museológico em Risco. O evento em Belém segue até amanhã (8). Veja a programação aqui. Acompanhe em tempo real a cobertura do Conexões Ibram Pará pelo Twitter @museusbr.

Texto e foto: Ascom/Ibram