Conexões Ibram: GT mapeia 18 iniciativas de Museologia Social em Pernambuco

O programa Pontos de Memória e o Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM) foram os temas da manhã de hoje (13) no Recife – segundo dia do projeto Conexões Ibram em Pernambuco (PE).

“Estamos tentando construir políticas participativas e a presença dos grupos sociais amplia a massa crítica”, indicou Felipe Evangelista (foto), representante da coordenação de Museologia Social e Educação do Ibram, ao apresentar o programa Pontos de Memória. “O conceito do que um ponto de memória precisa ser refinado e isso parte também das experiências dos grupos. A estratégia atual é mapear as ações de memória e fomentar redes”.

Alexandre Gomes (esq.), professor do bacharelado em Museologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), defendeu a Museologia Social na medida em que “amplia o campo de atuação” para os profissionais e para os ainda estudantes da primeira turma do curso na UFPE.

“Nosso desafio é democratizar os museus, abrindo para instituições sociais, grupos étnicos e coletivos”, disse Alexandre Gomes. Nessa perspectiva, o Grupo de Trabalho Mapeamento das ações de Museologia Social em Pernambuco, formado por ele em conjunto com estudantes de Museologia, identificou 18 iniciativas no estado. Grupos religiosos afro-brasileiros e povos indígenas, como a iniciativa desenvolvida pela etnia Fulni-ô (foto), destacam-se nesse primeiro mapeamento. Acesse aqui.

Plano Setorial de Museus
Ena Colnago e Patricia Albernaz, ambas da coordenação de Difusão e Desenvolvimento de Parcerias do Ibram/MinC, apresentaram a metodologia de construção do PNSM – histórico, estrutura e alinhamento com o Plano Nacional de Cultura (PNC) – assim como o  esforço de implementação que tem sido realizado por parte do Ibram com o objetivo de integrar estados e municípios na gestão e desenvolvimento do plano setorial até 2020.

“Este ano temos que dar início a elaboração de um modelo de acompanhamento e avaliação do PNSM para os próximos anos, lembrando que, em 2013, teremos a 3ª Conferência Nacional de Cultura (CNC)”, apontou Patrícia Albernaz. “Durante o 5º Fórum Nacional de Museus este ano, já queremos apontar caminhos para o monitoramento”, reforçou Ena Colnago.

Texto e fotos: Ascom/Ibram
Última atualização: 14.6.2012

 

Panorama em números dos museus pernambucanos

Ao final da manhã do dia 12, teve início a primeira da série de palestras e debates do projeto Conexões Ibram em Pernambuco (PE), que segue até 15 de junho na Fundaj – Recife.

Mayra Resende, coordenadora de Produção e Análise da Informação do Instituto Brasileiro de Museus, apresentou um “retrato” da área no estado: Pernambuco conta com 98 museus em seu território, dos quais 44 estão localizados na capital, Recife. O poder público responde por mais de 62,2% dessas instituições.

O Informativo Temático nº 7 fornece detalhes e os outros recortes realizados a partir da publicação Museus em Números. Saiba mais.

À tarde, tiveram início as oficinas integradas ao Conexões Ibram para profissionais e estudantes da área de museus no estado: Gestão e Inovação de Equipamentos Culturais, Plano Museológico, Educação Patrimonial e Introdução à Documentação Museológica. As oficinas encerram-se amanhã (13). Veja a programação completa.

Texto: Ascom/Ibram

Conexões Ibram PE começa com assinatura de acordo e lançamento do Sistema Estadual de Museus

Na manhã de hoje (12), teve início o projeto Conexões Ibram em Pernambuco (PE), que segue até dia 15 de junho na Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), na cidade do Recife.

Na abertura, o representante do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), Cícero Almeida (centro), e o presidente da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), Severino Pessoa (esq.), assinaram Acordo de Cooperação Técnica com o objetivo de integrar recursos e estimular o desenvolvimento de ações conjuntas no setor museal pernambucano.

“Não é fácil obter recursos para investir no patrimônio cultural – incluindo também o campo dos museus. Mas nosso objetivo é dar o destaque merecido para os nossos”, disse Severino Pessoa.

Para Cícero Almeida, a cooperação formalizada hoje “estabelece de fato uma relação direta com o estado”, pois um dos objetivos é “negociar e articular as políticas públicas desenvolvidas pelo Ibram com as particularidades locais, ampliando as relações e consolidando redes e sistemas de museus”.

Financiamento e sistema de museus
O deputado federal Pedro Eugênio destacou que a bancada pernambucana na Câmara dedicou cerca de R$ 30 milhões em emendas parlamentares para museus da região metropolitana do Recife. “Deve haver uma mobilização forte para que museus recebam o incentivo merecido. Eles devem ser vistos como parte indispensável do processo educativo e formativo da sociedade”, acrescentou.

Uma emenda de autoria individual do deputado pede R$ 1 milhão para os museus locais, sendo R$ 500 mil para obras no Museu da Abolição/Ibram no Recife.

O Sistema de Museus de Pernambuco foi apresentado por Célio Pontes, diretor de Gestão de Equipamentos Culturais da Fundarpe. A estruturação do sistema de museus do estado teve início em 2010. Após formação de grupos de trabalho com representantes das diversas esferas ano passado, em 2012 o documento está em fase final de trâmite jurídico. A expectativa é que se torne projeto de lei e siga para ser discutido em audiência pública como última etapa.

Também compuseram a mesa de abertura as museólogas Maria Fernanda Pinheiro, do Museu do Homem do Nordeste/Fundaj, e Regina Batista, vice-presidente do Fórum de Museus PE.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Costa Neto/Secult-PE