Três temas são debatidos no primeiro dia do Conexões Ibram Goiás

No primeiro dia do projeto Conexões Ibram Goiás, que acontece no Museu Zoroastro Artiaga até hoje (22), na capital Goiânia, três temas foram apresentados: Programa iMuseus, Plano Nacional Setorial de Museus e Estatuto de Museus.

Mayra Resende, coordenadora de Produção e Análise da Informação do Ibram/MinC, apresentou um recorte do panorama museal brasileiro – presente na publicação Museus em Números – com o Informativo Temático número 8, dedicado aos museus de Goiás.

Ela reforçou a importância de que as instituições façam parte do Cadastro Nacional de Museus (CNM) para que se construa um quadro mais exato da realidade do setor. Mayra destacou que o Ibram está trabalhando em um novo sistema que irá facilitar a atualização dos dados pelos museus e melhorar a consulta aos dados do CNM.

O Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM) e o Estatuto de Museus foram apresentados pelo assessor da presidência do Ibram, Luiz Renato Lima, que ressaltou a importância dos temas para a construção de políticas públicas voltadas para o setor museal nos estados.

O público presente, durante o debate, destacou o artigo do PNSM que trata de fomentar a relação museu-comunidade através da criação de museus comunitários. Para Luiz Renato, “as questões apresentadas durante a discussão mostraram a importância do setor se apropriar do Estatuto, aprofundar o conhecimento e refletir a sua aplicação sobre a realidade de cada museu”.

Texto: Ascom/Ibram
Última atualização: 26.6.2012

GTs do Fórum de Museus PE encerrou Conexões Ibram no Recife

O Fórum de Museus de Pernambuco reuniu-se em Grupos de Trabalho (GTs) na sexta (15), último dia do projeto Conexões Ibram no Recife, afim de equalizar as propostas estaduais com as diretrizes propostas pelo Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM).

No eixo 1 – Produção simbólica e diversidade cultural – a principal estratégia acrescentada foi o incentivo ao inventário nas instituições museais de Pernambuco. Já no eixo 2 – cultura, cidade e cidadania – a capacitação de trabalhadores nos museus e o fortalecimento da função social das instituições foram destacadas.

Uma maior presença de professores e estudantes nos museus e a capacitação do trade turístico para a temática foram apresentadas no GT em torno do eixo 3 – Cultura e desenvolvimento sustentável. No eixo 4 – Cultura e economia criativa – as principais estratégias são o fomento à pesquisa sobre museus e turismo, com o intuito de criar subsídios para a construção de políticas públicas cruzadas, e a criação de campanhas de divulgação para os museus, tendo em vista a Copa 2014.

O quinto e último eixo do PNSM – Gestão e institucionalidade da cultura – destacou a importância de um diagnóstico das demandas atuais dos museus pernambucanos, a criação de uma rede de museus local, com foco na comunicação, a ação continuada do Fórum de Museus PE e o esforço por parte do fórum na aprovação da lei que cria o Sistema de Museus de Pernambuco.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Conexões Ibram: GT mapeia 18 iniciativas de Museologia Social em Pernambuco

O programa Pontos de Memória e o Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM) foram os temas da manhã de hoje (13) no Recife – segundo dia do projeto Conexões Ibram em Pernambuco (PE).

“Estamos tentando construir políticas participativas e a presença dos grupos sociais amplia a massa crítica”, indicou Felipe Evangelista (foto), representante da coordenação de Museologia Social e Educação do Ibram, ao apresentar o programa Pontos de Memória. “O conceito do que um ponto de memória precisa ser refinado e isso parte também das experiências dos grupos. A estratégia atual é mapear as ações de memória e fomentar redes”.

Alexandre Gomes (esq.), professor do bacharelado em Museologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), defendeu a Museologia Social na medida em que “amplia o campo de atuação” para os profissionais e para os ainda estudantes da primeira turma do curso na UFPE.

“Nosso desafio é democratizar os museus, abrindo para instituições sociais, grupos étnicos e coletivos”, disse Alexandre Gomes. Nessa perspectiva, o Grupo de Trabalho Mapeamento das ações de Museologia Social em Pernambuco, formado por ele em conjunto com estudantes de Museologia, identificou 18 iniciativas no estado. Grupos religiosos afro-brasileiros e povos indígenas, como a iniciativa desenvolvida pela etnia Fulni-ô (foto), destacam-se nesse primeiro mapeamento. Acesse aqui.

Plano Setorial de Museus
Ena Colnago e Patricia Albernaz, ambas da coordenação de Difusão e Desenvolvimento de Parcerias do Ibram/MinC, apresentaram a metodologia de construção do PNSM – histórico, estrutura e alinhamento com o Plano Nacional de Cultura (PNC) – assim como o  esforço de implementação que tem sido realizado por parte do Ibram com o objetivo de integrar estados e municípios na gestão e desenvolvimento do plano setorial até 2020.

“Este ano temos que dar início a elaboração de um modelo de acompanhamento e avaliação do PNSM para os próximos anos, lembrando que, em 2013, teremos a 3ª Conferência Nacional de Cultura (CNC)”, apontou Patrícia Albernaz. “Durante o 5º Fórum Nacional de Museus este ano, já queremos apontar caminhos para o monitoramento”, reforçou Ena Colnago.

Texto e fotos: Ascom/Ibram
Última atualização: 14.6.2012