Pontos de Memória e Fomento a Museus em pauta no segundo dia do Conexões Ibram Sergipe

“Existem com certeza milhares de pontos de memória em Sergipe. Eles apenas não sabem disso ainda”. A fala do museólogo Valdemar Assis, do Departamento de Processos Museais do Ibram (DPMUS), abriu o segundo e último dia do projeto Conexões Ibram em Sergipe.

O direito à memória esteve no centro da apresentação, que mostrou ao público presente ao auditório do Museu da Gente Sergipana, em Aracaju (SE), os princípios, método e instrumentos oferecidos pelo programa Pontos de Memória, voltado para a reconstrução e fortalecimento da memória de grupos e comunidades.

Durante a exposição, foram apresentadas experiências de pontos de memória – atualmente já são 163 pontos no Brasil e 15 no exterior. Foram expostas ainda as etapas necessárias à criação de um ponto de memória.  Valdemar Assis lembrou que o primeiro passo é mapear potenciais grupos e comunidades.

“A gente sabe que Sergipe tem inúmeras expressões ligadas ao mar, às culturas indígenas, à matriz afro-brasileira e outras, que merecem ter assegurado seu direito à memória e possuir seus espaços de memória”, disse o representante do Ibram.

O museólogo sublinhou que a proposta do programa é trabalhar com estes grupos a memória de forma viva e dinâmica, como ferramenta de transformação e dignidade social, fortalecendo as tradições locais, a identidade e os laços de pertencimento, além da valorização do potencial local, a impulsão do turismo e da economia local, o desenvolvimento sustentável, a melhoria da localidade de vida e a inclusão. Lembrou que a gestão dos pontos é comunitária e os governos e prefeituras são parceiros estratégicos no mapeamento, acompanhamento e oferta de logística e infraestrutura.

Na sequência, os profissionais de museus, gestores, estudantes de Museologia e militantes do campo museal presentes ao evento acompanharam a apresentação da museóloga Rafaela Almeida, do Departamento de Difusão, Fomento e Economia de Museus (DDFEM) do Ibram, sobre o tema “Estratégias de Fomento e Financiamento aos Museus”. A fala apresentou os instrumentos econômicos oferecidos pelo Ibram para o incremento e sustentabilidade do setor museal brasileiro, destacando os diversos editais do Programa Ibram de Fomento 2012.

Como parte das oportunidades que integram o programa, foi lançado no último dia 19 o Prêmio Pontos de Memória 2012, que vai premiar 60 iniciativas, sendo 50 no Brasil (prêmio de R$ 30 mil cada) e 10 no exterior (com prêmios de R$ 50 mil). Saiba mais aqui.

Público sergipano debate dados museais, marcos legais do setor e patrimônio em risco

A necessidade de colher e sistematizar informações sobre o campo museal, os marcos legais do setor e os riscos ao patrimônio musealizado estiveram no centro do debate no primeiro dia do Projeto Conexões em Sergipe, que teve início na manhã desta terça-feira (27).

Cerca de 40 representantes do setor museal sergipano participaram das três apresentações iniciais do evento, que acontece no Museu da Gente Sergipana, em Aracaju (SE) com a participação de referências técnicas do Ibram em diversas áreas da gestão museal.

A programação foi aberta com fala da chefe do Cadastro Nacional de Museus, Karla Uzêda, sobre o programa iMuseus, que objetiva o levantamento e sistematização de informações sobre o setor museal.

A museóloga apresentou dados sobre a realidade do setor em âmbito nacional, além de informações sobre a situação dos museus sergipanos, sublinhando a necessidade de que as instituições museológicas locais colaborem com o trabalho contínuo de colheita de dados realizado pelo Ibram.

Na sequência, o público assistiu a fala das técnicas Ana Maltez, do Departamento de Processos Museais (DPMUS) e Janete Jane, do Departamento de Difusão, Fomento e Economia dos Museus (DDFEM), sobre o Estatuto de Museus e o Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM). A apresentação teve grande participação do público, que teve a oportunidade de tirar dúvidas e debater a respeito dos marcos legais do setor museal e sua relação com a realidade sergipana.

A programação do primeiro dia foi encerrada com apresentação da historiadora Eneida Queiroz sobre Gestão de Riscos. A técnica do Departamento de Processos Museais do Ibram apresentou e debateu com os participantes os principais riscos ao patrimônio musealizado identificados pelo órgão, chamando atenção para o fato de que apenas um dos museus cadastrados junto ao Ibram em Sergipe declarou possuir Plano de Segurança.

A edição sergipana do projeto Conexões Ibram prossegue nesta quarta-feira (28) com apresentações sobre o programa Pontos de Memória e as Estratégias de Fomento e Financiamento oferecidas pelo Ibram ao setor museal brasileiro, além de palestra e da realização de Grupos de Trabalho sobre temas considerados prioritários para o campo museal de Sergipe.

(Fotos: Bruno Aragão – ASCOM/Ibram)

Conexões Ibram é aberto em Sergipe

Com apresentação do Quinteto de Metais da Orquestra Sinfônica de Sergipe (ORSSE), foi aberta na manhã desta terça-feira (27), em Aracaju (SE), a edição sergipana do projeto Conexões Ibram.

A abertura do evento, que acontece no premiado Museu da Gente Sergipana, foi marcada pela assinatura de Termo de Cooperação entre o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), representado pela presidente-substituta Cássia Ribeiro, e pela Secretaria de Estado da Cultura de Sergipe (Secult/SE), que tem à frente a secretária Eloísa Galdino.

O acordo tem como objetivo a combinação e integração de competências e recursos institucionais para o desenvolvimento de ações conjuntas e coordenadas que contribuam para o reconhecimento, o fortalecimento, a difusão, o fomento e o incentivo do setor museal sergipano.

Entre as ações previstas está a criação de uma rede de informações museais voltada para a formulação de políticas públicas para o setor museal e a implantação de marcos legais do setor museal em Sergipe, assim como do Plano Nacional Setorial de Museus.

A parceria inclui ainda o desenvolvimento de políticas de fomento e financiamento, ações de incentivo à museologia social e a criação de um programa de proteção ao patrimônio musealizado em risco, ações para as quais o Ibram vai prestar apoio técnico à Secult/SE.

“A Política Nacional de Museus trouxe uma nova forma de tratar a política cultural voltada para o setor de museus, e nossa expectativa é que o Conexões Ibram aprofunde esta política em Sergipe, onde ela já vinha sendo seguida”, disse durante a cerimônia a secretária de Cultura de Sergipe.

Eloísa Galdino chamou atenção para o fato de o evento ser realizado no Museu da Gente Sergipana, que considera um marco no setor museal sergipano por aliar a identidade cultural local ao uso de tecnologias digitais.

A secretária disse esperar que a parceria com o Ibram se reflita em ações voltadas para a restauração, a capacitação de profissionais do setor e o tratamento diferenciado das unidades museológicas do estado.

 

(Fotos: Denisson Alves – ASCOM/Secult)