Retrospectiva 2012: Saiba como foi o Conexões Ibram em seu primeiro ano

O Projeto Conexões Ibram teve início em março de 2012 e o primeiro estado a receber a proposta do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) foi a Bahia (foto).

Desde então, outros quinze estados e o Distrito Federal receberam a equipe do Ibram para apresentar as políticas públicas e instrumentos de gestão para os museus brasileiros. No total, um público presencial de aproximadamente 1,1 mil pessoas participou das discussões.

Mas na internet também houve movimentação. Nestes nove meses de projeto, o blogue Conexões Ibram, criado especialmente para acompanhar o evento, teve cerca de 20,5 mil visualizações, além de 80 comentários feitos por interessados e participantes pelo país.

A repercussão na imprensa nacional também foi positiva: pelo menos 90 matérias foram clipadas pelo Ibram. Acesse o clipping completo de notícias.

“O Conexões está fazendo com que os estados pensem na sua política de museus, confirmando o papel do Ibram como gestor das políticas de museus”, reflete Jose do Nascimento Junior, presidente do Ibram (ao microfone durante evento no RS).

Desdobramentos
O Conexões Ibram tem gerado frutos a partir da assinatura dos acordos de cooperação entre o Ibram e os estados – até o momento, 15 deles já foram publicados e estão disponíveis.

No Rio Grande do Norte, por exemplo, segundo estado a receber o projeto, a articulação entre as iniciativas de museologia social do estado tem se fortalecido. Em julho, foi realizado o primeiro encontro da Rede de Pontos de Memória e Museus Comunitários do RN. Saiba mais.

Em decorrência do Grupo de Trabalho (GT) Legado Cultural para o Setor Museal – Megaeventos Esportivos, ação prevista pelo Conexões Ibram para estados com cidades-sede da Copa do Mundo FIFA 2014, foi criada a Comissão de Seleção de Pré-Projetos do Programa Legado Cultural em Natal (RN, que  prioriza os projetos dos museus voltados para a qualificação da infraestrutura de atendimento turístico.

No Espírito Santo (foto), a tônica tem sido a preservação do patrimônio cultural em risco. Como desdobramento do Conexões, foi realizado em setembro, pela Secretaria de Cultura local com o apoio do Ibram, o Seminário Patrimônio Cultural e Riscos.

Para Nascimento Jr., o desafio agora é dar continuidade ao projeto de modo a ampliar e estreitar a relação direta com os estados. “Pretendemos ir a todos os estados que faltam em 2013 e também fomentar as agendas de trabalho, mantendo e ampliando a interlocução”, conclui.

Texto e fotos: Ascom/Ibram

Políticas públicas e proteção ao patrimônio de museus movimentaram Conexões Ibram no ES

No primeiro dia do Conexões Ibram em Vitória (ES), o tema Estatísticas e Números foi abordado com a apresentação de parte dos dados compilados pelo Ibram/MinC na publicação Museus em Números. O trabalho faz parte do projeto iMuseus – construção de rede de informações do setor museal.

A legislação e políticas públicas para a área Museus, por sua vez, foi tratada nas discussões do Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM) e do Estatuto de Museus. Em ambas, houve grande participação do público – formado por representantes de museus, acervos, bibliotecas e instituições de ensino.

A palestra em torno da proteção ao patrimônio musealizado em risco fechou o dia de ontem (26). Riscos, plano de gestão, segurança e planejamento foram alguns dos assuntos abordados. Para Cícero Almeida (foto), coordenador de Patrimônio Museólogico do Ibram, a maioria das instituições não denucia roubos e furtos de acervo por receio de mostrar fragilidade na administração. “Mas como disse Machado de Assis: a ocasião faz o furto, e é essencial haver um planejamento de segurança nos museus”, comparou.

O instituto sugere ainda a criação de uma base de dados de voluntários para salvamento de obras museais em situações de emergência e a importância de todos os museus cadastrarem suas obras desaparecidas na base de dados nacional criada pelo Ibram já disponível no site da instituição.

O evento Conexões segue hoje (27) com palestras sobre o programa Pontos de Memória e de Estratégias de fomento e Financiamento para Museus. Haverá ainda reunião de Grupos de Trabalho (GTs) sobre os temas abordados nos dois dias do encontro.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Joaquim Oliveira

“Ainda há muito a ser feito”, diz secretário de Cultura do ES na abertura do Conexões Ibram

O quarto evento do projeto Conexões Ibram começou ontem (26), na capital do Espírito Santo (ES), Vitória.

A assinatura de Acordo de Cooperação Técnica entre o Estado e o Governo Federal abriu o encontro no Palácio Anchieta. Eneida Braga, presidente substituta do Ibram/MinC, assinou o documento com José Paulo Viçosi, Secretário estadual de Cultura (foto). O acordo tem como objetivo integrar recursos da área e estimular o desenvolvimento de ações conjuntas no setor museal no ES.

Eneida Braga ressaltou que esta ação é inédita do Governo Federal e busca parcerias para desenvolver políticas públicas especificas para o setor museal. Paulo Viçosi enfatizou que ainda há muito a ser feito, mas que a demanda dos cidadãos precisa ser atendida. “ Apesar de ser um Estado pequeno, existe um grande potencial para dar ao povo capixaba seu direito à memória”, declarou.

A Deputada Luzia Toledo, que é presidente da Comissão de Cultura da Assembléia Legislativa, destacou a importância de ser realizar conexões culturais no Brasil e lembrou ainda que o evento ocorre no Palácio Anchieta, que é uma “marca da determinação da política cultural capixaba”. Recentemente restaurado, o prédio abriga um museu e diversas salas de exposições.

Também estiveram presentes os subsecretários de estado de Cultura, Erlon Paschoal, e de Patrimônio Cultural, Joelma Consuêlo Fonseca e Silva.

Na programação do dia 26, as palestras e debates tiveram temas variados, como Estatuto de Museus e Patrimônio Cultural em Risco.

Texto e foto: Ascom/Ibram